sexta-feira, 27 de março de 2015

Museu de Sergipe, voltando a ser grande

Está de parabéns o diretor do museu de Sergipe, cuidando a cada dia das peças de valor estimável, que conta um pouco da história política e artística de Sergipe, a exemplo de uma tela de beleza singular de Jenner Augusto que é um dos fundadores do museu.
E varias peças que estavam esquecidas na reserva técnica, segundo o diretor Sérgio, retornaram para a contemplação pública.
Algumas precisam apenas de uma boa limpeza.

Fabio A. Sá

terça-feira, 24 de março de 2015

São Cristóvão, pede socorro, violência diária

Mais um assassinato e. São Cristóvão, por arma de fogo.
A cidade definitivamente entra na triste estatística de cidade violenta.
Nesta manha, segundo informações as 05:15 bandidos roubaram pessoas que esperavam o transporte no ponto na frente do asilo.
Segundo informações nas redes sociais, se trata de um celta prata e uma motocicleta.
A cidade pede socorro, virou rotina esse tipo de crime na cidade.

Não vamos publicar comentários anônimos

Tem alguns comentários aqui, mas sem identificação.
Anonimo não publicarem os, mesmo que comentários sensatos e pertinentes.
A poesia da corrida entre São Cristóvão e Aracaju
Seis pares de tênis, três amigos e uma só corrente de amizade
Desde quando comecei a publicar textos neste espaço resolvi comentar sobre corridas de uma maneira mais objetiva, evitando qualquer conteúdo pessoal. A intenção é procurar dar um sentido jornalístico aos assuntos, ainda que de maneira informal.
A minha perspectiva particular dos acontecimentos deixei para o blog 1000 Corridas Antes de Morrer. Mas aqui abro uma exceção e conto, em miúdos, como foi a 32ª Corrida Cidade de Aracaju. Em graúdo, descrevo com mais detalhes no referido blog. As informações jornalísticas sobre a corrida podem ser acessadas aqui. As imagens, feitas pelo fotógrafo César de Oliveira, podem ser visualizadas aqui. O resultado geral aqui.
Para sentir como foi a corrida, aos olhos de quem participou como iniciante, continue a leitura ou acompanhe a linha do tempo de muitos usuários do Facebook e perfis do Instagram, como esses aqui, e aqui.
Fotos: César de Oliveira
A corrida entre São Cristóvão e Aracaju é poesia do começo ao fim. Definitivamente, posso afirmar que a corrida de rua agora é parte da minha vida. Não pela distância percorrida entre as duas cidades, mas única e exclusivamente pela experiência que, passo a passo, conquistei ao longo do percurso.
Os apaixonados por essa prova são unânimes ao dizer o quanto ela é especial. Falam com devoção da energia das pessoas, do brinde à festa e do suor que desce como lágrimas. É preciso muitos e bons escritores para descrever o encanto desse romanesco evento.
Em meio a tantas histórias, um sedentário, pós-cirurgia de joelho para recompor o ligamento cruzado anterior, estava lá para cumprir o desafio dos 25 km.  Comecei a correr há oito meses, sem muita esperança e com medo de uma nova lesão. Somado a isso estavam os quilos em excesso. Apesar de toda a negatividade, incrivelmente eu ainda carregava a esperança de vencer o presságio de uma vida desregrada.
Largamos às 16h15. No pensamento todos os meus sonhos. No bolso todas as mariolas possíveis. A animação da cidade de São Cristóvão começou a aparecer ainda nos primeiros metros. Um corredor de crianças, jovens e idosos deu o arrojo para manter a vitalidade.
"É muito diferente participar dessa corrida", afirmam os corredores. Eu estava prestes a saber o motivo de ser tão extraordinária. O corpo sentiu arrepios antes mesmo de sair da cidade. Foi um sintoma da minha euforia. O necessário para responder ao questionamento interno.
A cidade histórica de São Cristóvão, tão acostumada com as peregrinações dos fiéis que caminham pausadamente entre igrejas, deu lugar a uma repentina e súbita correria entre apressados que disputavam a primeira colocação e a maioria  que somente queriam cruzar a linha de chegada.
Ao menos uma vez por ano, as famílias, que moram próximas da rodovia João Bebe Água, um dos trechos com maior índice de acidentes automobilísticos em Sergipe, esquecem que ali é um lugar perigoso. A preocupação com a violência no trânsito dá lugar aos aplausos.
Duas subidas implacáveis, a primeira no km 10 e a segunda no km 12. O desgaste de ambas só deu pra sentir faltando menos de 8 quilômetros para o final. Mas o que era aquilo nas proximidades do bairro Rosa Elze e Eduardo Gomes? Anualmente assisto aos grandes eventos esportivos de ciclismo, principalmente o Tour de France e o Giro D´Itália. Quem já viu pelo menos uma vez os ciclistas enfrentando aquelas montanhas vai saber do que se trata. Do contrário clique aqui.
Legenda
Entrar na reta daqueles dois bairros é um misto de cansaço e vitória, muito embora este último prevaleça. A pista é tomada por moradores. Que clima! Aqui a poesia encontra seu melhor verso. Crianças que buscam apenas o carinho do contato mão com mão, como se todos ali fossem heróis. Caros franceses e italianos vocês precisam conhecer essa festa e fazer uma etapa de ciclismo por aqui. Sinto muito por vocês.
Ladeira do bairro América à vista! Respirei fundo, olhei pra frente e assei a canela. No embalo as crianças acompanharam. De mãos dadas e tudo mais. Pose pra foto. Dali em diante era só seguir o fluxo. O joelho pedia pra parar, o coração mandava acelerar e os olhos cobiçavam a  linha de chegada.
Lado a lado, do começo ao fim, eu, Clayton e Márcio entortamos a Barão de Maruim para entrar na rua da frente. Ao meu lado ouvi lágrimas caindo. Também foi difícil me conter. O pórtico estava próximo. Os mesmos pés que pisaram a cidade histórica de São Cristóvão estavam ali para contar sua própria história depois de 25 quilômetros. Seis pares de tênis, três amigos e uma só corrente de amizade. Não deu pra segurar o choro.

Fonte:Infonet. com.br

segunda-feira, 23 de março de 2015

Diretorias do Estado é de Indicação Politica, Disse Algo Novo????

Olha a polêmica faz parte de tudo, dizer que o museu de sergipe é uma indicação politica,é o mesmo que descobrir em dias de hoje a polvora.
Sempre foi, e sempre será!!!!
Vamos deixar de conversa fiada, nesse pais, a hipocrisia impera, o politicamente correto, é muito bonitinho, agora no discurso, na pratica o que assistimos é cada um pensando em si.
Cargos politicos nunca deixaram de ter,  vamos ser honestos com nos mesmos, quem nunca teve, que não quer ter um Cczinho,que atire a primeira pedra!!!!
Agora vejo pessoas que tem, diretoria disso,diretoria daquilo,será que é pura competência????

Blog do Claudio Nunes

Mais uma da politicagem. Mudança direção Museu Histórico de Sergipe
Do leitor: Manoel Andrade: “Na última semana grande parte da população de São Cristóvão ficou perplexa e até entediada, com a exoneração do então Diretor do Museu Histórico de Sergipe, o professor e historiador Thiago Fragata. Há muitos anos que a sociedade sancristovense se deliciava com a aproximação sociedade/museu, com grandes eventos na sua maioria das vezes idealizados por ele e a sua equipe. Foi também um dos baluartes junto a incansável Vânia Corrêa Fontes, pela Praça de São Francisco ter sido reconhecida com Patrimônio Mundial. Nada contra a figura de quem está chegando para ocupar o seu lugar. Só que como se trata de critérios eminentemente “políticos”, faz com que a população fique chateada. Não foi a troca de um “profissional” da área por outro. Não, saiu um técnico e entra um cabo eleitoral do agrupamento de alguém que estão hoje comandando a secretaria da cultura do estado. “Coisas da política”. Parabéns Thiago pelos anos dedicados a nossa cultura. E boa sorte para quem chega e para a nossa cidade.”

Marginais Aterrorizam Grande Aracaju, Ha mais de Três Meses,

Polícia
      
23/3/2015 06:03:29
MARGINAIS ASSALTAM CHÁCARA DO DIRETOR DA CRIMINALÍSTICA

Cinco marginais invadiram na noite do último sábado (21), a chácara de propriedade do presidente do Instituto de Criminalística de Sergipe, Moises Chagas, e levara as armas do perito.
As informações passadas por Moises em entrevista ao radialista Gilmar Carvalho na rede Ilha, são de que os três elementos invadiram a chácara e após fazerem reféns o caseiro, este foi obrigado a ir até a casa onde o perito se encontrava.
Moises conta que eles tinham conhecimento do que estavam fazendo já que segundo o perito, “eles chegaram e após fazerem o caseiro refém, eles foram até minha casa e o caseiro me chamou. Assim que eu abri a porta, eles já apontaram a arma para mim e começaram a pedir as armas. Eles chegaram e disseram que eu era policial, ai eu disse que era perito. Eles queriam a pistola ponto 40, ai eu disse que a pistola estava na criminalística. Então eu disse que estava apenas como revólver que estava no carro. Eles foram até o carro e pegaram o revolver e o colete a prova de balas. Eles já vieram vestido com o colete”, contou o perito.
Moises explicou ainda que os bandidos exigiram ainda o anel e o relógio. De posse dos bens do diretor da criminalística, eles o prenderam juntamente com o caseiro no banheiro. Pouco tempo depois, a mulher do caseiro, que havia ficado sob a mira do revolver de um dos bandidos e após irem embora, ela foi até a casa e abriu a porta para que a gente saísse.
Moises Chagas disse ainda que durante a ação dos marginais afirmaram que não queriam ferir ninguém, e que sabiam que ele (Moisés) é policial civil. Os bandidos levaram uma espingarda calibre 16, marca CBC, registrada, e as chaves de uma viatura Voyage. Um dos elementos foi reconhecido pelo caseiro como sendo ´Morrendo´, que fugiu do COPE em novembro de 2014.

domingo, 22 de março de 2015

Confusão em espaço de festa

O maior pandemônio neste sábado (21/03) no espaço de eventos que fica na avenida.
Segundo informações, as brigas começaram na plateia, e sobrou para o para o cantor Antônio o clone que postou nas redes sociais, o estado que ficou, e reclamou da falta de segurança.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Nova Direção do Museu de Sergipe, começou com muitas dificuldades

Museu de Sergipe com nova direção, todos já sabem é o Sérgio Murilo.
Segundo o novo diretor, começou a administração com alguns obstáculos, sem aviso prévio da antiga direção de um show de músicas de Chiquinha Gonzaga.
Segundo Sérgio, ele ficou ciente do espetáculo duas horas antes, e sem som, sem iluminação adequada, e sem avisar ao publico.
Ele conseguiu de ultima hora o apoio de Maurício Barros, e sua sonorização, convidou amigos de última hora para prestigiar o evento.
Realmente lamentável essa situação, Sérgio disse que suas acoes afrente do museu de Sergipe, seram voltadas a população de São Cristóvão, diferente da direção passada que fazia eventos para intelectualidade de Sergipe vê.
Ainda disse que vai reativar as salas fechadas sem uma explicação logica, e ainda começou um trabalho de recuperação das obras, que algumas estão bemdeterioradas.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Veiculo Roubado em São Cristóvão, Por Quadrilha que Aterroriza Sítios, é Encontrado Enterrado na Terra Dura

Carro roubado é encontrado enterrado no 17 de Março
Carro pertencia a um fotógrafo e foi roubado em janeiro
Carro estava enterrado em um terreno na Invasão das Mangabeiras (Foto: divulgação/RP)
Um carro foi encontrado enterrado na manhã desta quarta-feira, 18, em um terreno localizado na Invasão das Mangabeiras, localizado no bairro 17 de Março. Após denúncia anônima, os policiais do Batalhão de Polícia Radiopatrulha foram até o local e com a ajuda de uma retroescavadeira, fizeram a retirada do veículo.

De acordo com o Major Vitor Moraes, da Radiopatrulha, depois de desenterrado, o veículo foi guinchado e levado à Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV). Depois de algumas consultas, os policiais conseguiram identificar a placa do veículo e a origem dele. Trata-se de um Siena de cor preta e placa IAI 1357, que havia sido roubado no dia 30 de janeiro, em São Cristóvão. O carro pertencia a um fotógrafo que teve todo o seu material de trabalho levado.

A operação de retirada do veículo foi iniciada às 10h30 e finalizada no fim da tarde.
Por Verlane Estácio

Fonte:Infonet. com.br

terça-feira, 17 de março de 2015

Assalto a Taxista Em São Cristóvão

Taxista Foi vitima de assalto no Eduardo Gomes e por não perdeu a vida, marginais desferiram contra o taxista dois golpes de faca na face e no pescoço, neste momento está sendo atendido no hospital João Alves e não corre risco de vida.
Os elementos acaba de ser presos por policiais no Eduardo Gomes um dos assaltantes foi provavelmente atingido pelo taxista numa provável reação e ferido procurou atendimento medico no posto de saúde do Eduardo Gomes e acabou sendo preso.

Violência Cronica, Tiroteio no Alto da Divineia

Tiroteio dentro de ônibus no final de linha do alto da Divinéia, bairro que fica próximo ao centro histórico.
Segundo informações há feridos.
É esse o clima de violência da nossa cidade, com uma administração que esta mais preocupada em da largada de corrida, doque resolver a problemática cronica da cidade.

Corrida cidade de Aracaju

Corrida cidade de Aracaju, a largada tradicionalmente é em São Cristóvão.
Muitos atletas participaram, varias equipes, a equipe do centro de treinamento da guarda municipal de Aracaju participou, uma festa bonita.
A largada foi por conta da prefeita de São Cristóvão, nunca foi comum um prefeito participar ativamente das comemorações da mudança da capital, mas como a atual gestão não conhece nossa história, não cotiva o sentimento simbólico desse evento, a onde São Cristóvão, perdeu o título a 160 anos de capital de Sergipe, mas isso não se pode exiger dessa administração extraterrestre.
Enfim, 160 anos de perca, e a cada dia, perdendo mais.











Cristóvão de Moura, o Nome de São Cristóvão Foi Uma Homenagem a Ele e Não ao Santo Como Muitos Pensam, que Foi Vice Rei da Espanha

A primeira figura desta nova rúbrica é Cristóvão de Moura (1538-1613), 1º conde de Lumiares e 1º marquês de Castelo Rodrigo, chamado o"demónio do meio dia". Pende sobre esta personagem a ignomínia de ter sido o principal agente de Filipe II de Espanha durante a crise dinástica de 1580, tendo tudo feito para que o seu amo castelhano subisse ao trono português. 

Filho de D. Luís de Moura, Cristovão de Moura Corte Real foi para Espanha ainda muito jovem, no séquito da princesa D. Joana, mãe de D. Sebastião. O fidalgo viveu quase toda a sua vida de adulto na corte de Filipe II de Espanha, de quem era amigo e conselheiro pessoal. Aliás, só voltou a residir em Portugal em 1598, ano em que faleceu o monarca ibérico. Foi depois Vice-Rei de Portugal, residindo em Lisboa e em Queluz, entre 1600 e 1603 e entre 1608 e 1612, sendo-lhe reconhecida a extrema competência, habilidade e sagacidade. 

Durante a crise de 1580, Cristóvão de Moura conseguiu que a alta nobreza aderisse à causa de Filipe II. Além disso, subornou alcaides e governadores de fortalezas com ouro espanhol. Os seus inimigos chamavam-lhe "o demónio do meio dia", sendo visto como um fidalgo renegado e traidor da pátria. 

Com a Restauração, a populaça destruíu o seu palácio em Castelo Rodrigo, tal era o ódio que a sua figura ainda inspirava, não obstante ter falecido há quase trinta anos. Os bens da família foram confiscados e os seus descendentes fixaram-se para sempre em terras espanholas. Cristóvão de Moura era ainda recordado como um símbolo do domínio espanhol e da Casa de Áustria, a que, diga-se, era mais dedicado que a qualquer conceito de pátria. A sua fidelidade era para com os áustrias e não para com Portugal ou Espanha. 

No século XIX, com o romantismo e a emergência do sentimento nacionalista, a memória de Cristóvão de Moura foi ainda mais estigmatizada, de modo que os poucos relatos que hoje existem lhe são extremamente adversos. Foi votado a um esquecimento completo, sendo mesmo difícil encontrar referências directas a esta personagem nos compêndios históricos. E por exemplo, não encontrei qualquer retrato seu na internet. A imagem acima é da sua residência em Queluz, que mais tarde se tornou Palácio Real. 

Nota: já agora, recomendo uma visita aoCristóvão de Moura, um excelente blog. 

segunda-feira, 16 de março de 2015

CPRv interdita rodovia para Corrida Cidade de Aracaju
Entrada do conjunto Eduardo Gomes até São Cristóvão
(Foto: CPRv)
A partir das 14h dessa terça-feira,17, a Polícia Militar, através da Companhia de Policia Rodoviária Estadual (CPRv), estará interditando a rodovia João Bebe Água (SE 065), no município de São Cristóvão para a realização da 32ª corrida cidade de Aracaju.
A interdição total será realizada da entrada do conjunto Eduardo Gomes até a entrada da cidade de São Cristóvão. Já no trecho duplicado que vai do bairro Rosa Elze até o viaduto da Avenida Tancredo Neves, será feito um binário por aonde os veículos irão se deslocar por somente um lado da rodovia, ficando a pista do lado da UFS liberada somente para os atletas e organizadores da corrida.
Em todo o percurso da corrida contará com a presença de policiais da CPRv, soldados do Exército Brasileiro e Agentes de Trânsito das SMTTs de Aracaju e São Cristóvão, a fim de garantir a segurança dos atletas e do público em geral.
Com informações da CPRV

Fonte: Infonet. com.br

Museu de Sergipe Tem Nova Direção

Nova direção no museu histórico de Sergipe, é o conhecido Sérgio Murilo ou Sérgio da camag.
Sergio assume com a missão de resgatar a auto estima do museu de Sergipe, que viveu os últimos anos uma proposta temática que não deu certo, não foi atrativa, e sim técnica, o hoje ex-diretor Thiago Fragata teve uma administração contestável, mas chegou ao fim.
Que Sérgio que é habilidoso, tenha sucesso nessa missão.

Antiga Estação Rodoviária, o Abandono Transformou em Local de Risco

Este prédio é da antiga estação rodoviária, que se encontra neste estado lastimável.
Sem zelo, sem segurança, enfim, sem a mínima utilidade.
Vira local de acumulo de desocupados, ambiente propício a uso de drogas, que hoje é local de risco na cidade.



domingo, 15 de março de 2015

Motocicletas dominam ruas de São Cristóvão

O que se percebe é os condutores de motocicletas ma sua grande maioria são menores, ai perguntamos, cadê o órgão fiscalizador do municipal????
Trânsito é só pelo dia, e em dias de úteis??
A grande maioria dos crimes que acontece hoje é com uso de motocicletas.

Violência vira programação de final de semana em São Cristóvão

São Cristóvão vive noites de terror, com bandidos assolta nas ruas, aprontando, roubando celulares, bebendo, com som de mala, acidade sente a falta de segurança.
A população está abandonada, em todos os sentidos.

sábado, 14 de março de 2015

Segurança Publica, Dever de todos

Segurança pública é dever de todos, essa história de segurança pública ser devê do estado é muito mau interpretada, a segurança pública começa dentro das casas no seio familiar, começa com educação publica de qualidade, e não educação de 0,5 pontos, é saneamento básico, ruas iluminadas, e prédios públicos bem cuidados, com segurança, e cultura, é arte, apoio a religião...
Portanto os defensores do indefensável, os municípios tem sim responsabilidade, sem falar  administrações responsável com a sua cidade e seu cidadão, que cria suas guardas, com isso trazem a sensação de segurança aos seus munícipes.
Jogar a culpa para o outro não melhora em nada a nossa imagem.
O que esperar de uma administração sem o interesse esperado, fazer o que??

Rua João Bebe Agua, A Nova Lixeira de São Cristóvão, por Sócrates Prado



A lixeira da rua João Bebe Água está aumentando, daqui uns dias não vamos conseguir passar, hoje voltando para casa deparei com mais tres sacos de lixo e pelo que parece deve ter vindo da Sec. de Mal Educação, gostaria de informar que colocando o lixo no final da tarde de sexta-feira, só será recolhido na próxima segunda-feira, isto quer dizer que passará o final de semana exposto e embelezando a rua junto ao que já existia !!!! Será que querem a cidade uma lixeira de fato??????? Não estão satisfeitos pela situação atual que se encontra nossa São Cristóvão???????? Só Jesus na causa !!!!!!!!!!!!!2

O caos toma conta das ruas de São Cristóvão, violência aterroriza população

A violência esta a solta nas ruas de São Cristóvão, bandidos em motocicletas aterroizando.
Levaram um celular dr uma moça que passava na frente do museu ma praça São Francisco.
O terror toma conta das ruas da cidade na noite desse sábado.
Segundo informações malandros quebraram o cano de água da secretaria de saúde na rua prof. Leão Magno que fica nos fundos do museu.
São Cristóvão pede socorro.

Greve avista, contra o descaso dessa administração

 
Politica
        
 
13/3/2015 16:28:53
AGENTES DE SÃO CRISTÓVÃO FARÃO PARALISAÇÃO NO DIA 18
Por conta da falta do pagamento retroativo de julho de 2014 a janeiro de 2015 da Prefeitura de São Cristóvão aos agentes comunitários de Saúde e de combate às endemias, o Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) decidiu junto aos servidores realizar uma paralisação e uma assembleia, na próxima quarta-feira (18), na praça central do município.
Os agentes estão agora aquartelados nas suas unidades de trabalho, aguardando até a assembleia que a prefeitura pague, pelo menos, o retroativo de janeiro com a folha suplementar, se pagar iremos desmobilizar a categoria, afirmou Augusto Couto, presidente do Sintasa.
Ascom Sintasa


sexta-feira, 13 de março de 2015

Cinema na Praça? Pra quem??,Sócrates Prado

Acho muito engraçado, diante de tantos crimes, roubos, assaltos, arrastões, enfim.... a prefeita coloca um carro de som com uma gravação dela convidando o povo para uma sessão de cinema na pça. São Francisco amanhã às 19h...... o povo está com medo de sair à noite de suas casas, vai à pça. se arriscar pela malandragem que está aí???? Prefeita vai resolver a segurança primeiro do povo, estamos presos em casa com medo de sair, depois a diversão !!!!!

Fórum Pensar São Cristóvão

Nesta quinta-feira (12/03) ma cidade de São Cristóvão, mais exatamente no auditório do colégio Prado Meireles mo centro histórico, aconteceu o fórum pensar São Cristóvão, com uma grande participação popular, e a presença do secretário da segurança pública Mendonça Prado.
O secretário fez uma explanação sobre a estrutura da segurança, as suas atribuições e limitações.
O secretário respondeu a questionamtos, e prometeu uma base do geram na cidade, o secretário falou do papel da administracao municipal não faz a sua parte, deixando as ruas mal iluminadas, sem saneamento básico, sem saúde, sem educação.


São Cristóvão, Cidade Violenta

Três jovens fazem arrastão e roubam motorista, cobrador e passageiros
Segundo vítimas, criminosos aparentam ser menores de 18 anos. Veículo foi abordado no Povoado Quissamã em São Cristóvão.
13/03/2015 05h58 - Atualizado em 13/03/2015 06h30
Do G1 SE
Três homens armados com facas e arma de fogo praticaram um roubo dentro de um micro-ônibus que faz o transporte de Estância para Aracaju por volta das 16h30 de quinta-feira (13). Segundo o relato de uma das vítimas, o grupo embarcou já anunciando o assalto no Povoado Quissamã, emSão Cristóvão, quando a van seguia sentido a Aracaju.
O motorista foi o primeiro a ser rendido pelo jovem com a arma de fogo, em seguida, a dupla com as facas recolheram objetos pessoais, celulares, cartões de crédito e débito e dinheiro do cobrador e dos passageiros.
No Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Plantonista da capital, a informação é de que os suspeitos têm aparência de serem menores de 18 anos. Eles eram magros, morenos e vestiam bermudas de tactel, dois deles estavam com camisas polo brancas e o que portava a arma de fogo usava uma camisa estampada vermelha.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Bombardeio Alemão na costa de São cristovão completará 67 anos


Aracaju, 15 de agosto de 1942. Os navios mercantes da Marinha brasileira, o Baependy e o Araraquara, são atingidos por torpedos disparados pelo submarino alemão U-507 a cerca de 20 milhas da costa sergipana. Menos de oito horas depois, às 4h15 do dia 1,6 o Aníbal Benévolo também é torpedeado nas águas de Sergipe pelo mesmo submarino. Um cenário macabro surgia já na manhã do dia 16 entre o litoral sul do Estado e o Mosqueiro.
O soldado da Força Expedicionária Brasileira (FEB) Rubens Ribeiro Cardoso, 85, estava fazendo a patrulha do litoral sul do Estado com mais 20 homens. Soldado da infantaria do 28 BC, era encarregado da defesa das praias. Na manhã do dia 16, viu os primeiros destroços dos navios, sobreviventes e mortos surgirem na areia.
"Fazia a patrulha de segurança nas proximidades da foz do rio Real, cobrindo o litoral. Não ouvimos nenhum estrondo, nem clarão, mas altas horas da madrugada nos deparamos com destroços do navio e com os primeiros náufragos. Fiquei apavorado com a cena. Minha mãe e meu irmão estavam viajando no Baependy e aquele só poderia ser ele, o Baependy. Corri para avisar do ataque ao interventor da época, coronel Maynard Gomes, e a outra parte da tropa foi buscar ajuda com pescadores e gente do lugar. Foi horrível", disse o ex-combatente. Só no dia seguinte ele soube que os parentes que estariam naquele navio teriam desistido de última hora da viagem marítima e optado por virem de trem.O antigo soldado da FEB relembra os fatos com emoção na sede da Associação dos Ex-Combatentes do Brasil, secção Sergipe, no Centro de Aracaju. Disse que não se esquece das cenas que viu naquela madrugada e no decorrer dos dias seguintes. "Corpos destroçados, de crianças, inclusive. Uma barbaridade. Tenho tudo na minha memória", diz, com a voz embargada e as mãos trêmulas.Zé Peixe tinha 15 anos na ocasião dos ataques. José Martins Ribeiro Nunes já nadava muito e convivia entre os marinheiros da Capitania dos Portos, em Aracaju. No período de 16 a 19 de agosto "mudou-se" para a praia, hoje conhecida como praia dos Náufragos, ajudando nos trabalhos de resgate de corpos e de sobreviventes.
"Quando acordei, soube da notícia e fui até lá para ajudar. Era triste ver aquilo. Barcos destroçados, gente morta", disse Zé Peixe, ao lembrar que a partir daquela data tudo mudou. "Não podia usar luz nos navios e Getúlio declarou guerra a partir dali", acrescentou. O Brasil envia as primeiras tropas para a guerra no início de 1943.
Três meses após o ataque, o soldado Rubens Ribeiro Cardoso deixa o Exército ao ser convocado para trabalhar em uma entidade internacional de apoio às Forças Armadas. A "Honra e Conselho Francês" era encarregada de abastecer os navios que seguiriam para o campo de guerra levando mantimentos, armamentos e tropas.
Mais de 500 mortosOs bombardeios sucessivos ocorridos há 65 anos aceleraram o ingresso do Brasil na II Guerra Mundial (1939 a 1945). De acordo com o diretor do Arquivo Público de Sergipe, o historiador Manoel Prado, Aracaju foi a única capital das Américas a sentir tão perto um bombardeio em Guerra Mundial.
O número de mortos e sobreviventes diverge entre os documentos oficiais. Dados que constam da obra "Agressão – Documentário dos fatos que levaram o Brasil à guerra", publicada em 1943 pelo Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), apontam para 551 mortos nos navios Baependy, Araraquara e Aníbal Benévolo. "É preciso que seja feita uma revisão na história, pois os dados divergem. Precisamos fazer uma releitura", acentuou a historiadora, autora de estudos sobre o assunto, Maria Nely Santos.
Comoção geral
Mais duas embarcações e um veleiro foram torpedeados – Itagiba, Arará e Jacira – essas em águas do litoral baiano, entre os dias 17 e 19 pelo mesmo submarino, tornando o período de 15 a 19 de agosto um marco triste na história sergipana. Nos dois primeiros, navios de cabotagem, desapareceram 59 pessoas. Já do Jacira, pequena embarcação, não houve baixas.
Nesses três bombardeios, os navios passavam próximos a Sergipe, aumentando a comoção de sergipanos com os torpedeamentos. "Até então, as notícias da guerra chegavam a Aracaju através dos jornais ou do rádio. Era tudo muito distante, mas de repente ela tornou-se muito próxima a nós", disse a historiadora.
"Em Aracaju, o ataque ao Baependy provocou reação emocionada na população", complementou o diretor do Arquivo Público do Estado. Manuel Prado, que elaborou uma cronologia dos 150 anos de Aracaju e disse que o dia 15 de agosto foi dos mais importantes e aterradores já vividos na capital.
Muros de casas de italianos e alemães ou seus descendentes foram pichados e pessoas agredidas. Uma das vítimas da histeria que tomou conta principalmente de estudantes foi a família do italiano Nicola Mandarino. O casarão em que morava, nas imediações do Parque Teófilo Dantas, Centro da cidade, foi apedrejado, invadido e o piano destroçado. Os familiares tiveram que fugir às pressas com medo da horda. Em Florianópolis e Pernambuco, agressões semelhantes ocorreram. "Eram ataques à chamada quinta coluna, grupos que apoiavam o nazismo", falou Manuel Prado.
II Guerra Mundial teve 300 sergipanos
"Quando quiser bons combatentes, bravos, disciplinados e cumpridores de seus deveres e missões, mandarei buscá-los no Brasil. Sua eficiência é tamanha que em dez dias seus recrutas se transformarão em veteranos, aptos a qualquer tipo de batalha", general Mark Clarck, comandante do V Exército Aliado na II Guerra Mundial. Essa mensagem foi encaminhada ao Brasil logo após o término da grande guerra e se refere aos pracinhas, soldados brasileiros que lutaram no front.
O advogado e ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB) Sizenando Azevedo Faro é presidente da Associação dos Ex- Combatentes do Brasil/Sergipe. "O Exército Brasileiro participou da II Guerra Mundial com 25 mil homens, mas nem todos embarcaram na mesma data", disse Sizenando. Ele embarcou de trem para Salvador e de lá seguiu em navio mercante para o Rio de Janeiro, onde finalmente viajou para a Itália para ajudar nos combates em Monte Castelo.
Segundo ele, de Sergipe partiram cerca de 300 homens da FEB, entre eles Zamardille Leão Brasil e o soldado Claudionor da Silveira Barreto. "Desses, quase todos voltaram", relembra. Hoje, a associação que preside, criada um ano após acabada a guerra, congrega 44 membros ativos. Já a entidade nacional, com sede no Rio de Janeiro, foi fundada logo depois de declarada a paz.
Jackson de Oliveira Figueiredo, 81, foi marinheiro de guerra e integra hoje a Associação dos Ex-Combatentes de Sergipe. "A população não tem noção do que seja a guerra", disse. Ele serviu durante três anos e três meses à Marinha de Guerra do Brasil fazendo o comboio de navios mercantes por águas brasileiras e estrangeiras.Sargento Zacarias, um bravo
O sargento Zacarias tem as marcas da guerra no corpo e na alma. Ele lutou na II Guerra Mundial e ficou conhecido pelos atos de bravura. É o quarto homem no mundo a receber a Medalha Silver Star, concedida pelas Nações Unidas por atos excepcionais praticados em guerras.
Aos 84 anos, Zacarias Izidoro Cardoso altera momentos de lucidez e lapsos de memória quando volta ao front imaginário. É Napoleão Bonaparte, um soldado em plena guerra, um herói de novo. Mora no Asilo Rio Branco, zona sul da cidade, onde é assistido por uma equipe médica especializada paga pelos filhos. "Papai preferiu morar no asilo, mesmo depois de ter morado comigo", disse um dos dez filhos do sargento, o publicitário Augusto César Maia Cardoso.Ele fala pelo pai. "Papai embarcou para a Itália do Rio de Janeiro, em janeiro de 1944. Participou na VI Companhia do 2º Batalhão do 11º Regimento de Infantaria e regressou ao Brasil 18 meses após passar por 19 cirurgias nos Estados Unidos", contou Augusto César. Ao chegar à cidade de Maruim, com várias cicatrizes e mutilações, foi aclamado como herói.
Augusto César conta que o pai incluía o frio como um dos inimigos que enfrentou. O combate mais grave foi a Tomada de Montese, na Itália. "É onde ele cai ferido e é resgatado dos destroços pela enfermeira Jane Simões de Araújo, uma sergipana de Riachão do Dantas; veja que coincidência", disse.
Ele conta que o pai integrava o grupo de voluntários que saía às cegas em campos minados para deixar os soldados do batalhão passar em segurança. Chegou a ser apelidado de "O Louco de Ipisa", por esses atos e o único soldado brasileiro a receber a Medalha Silver Star.Fonte,Texto: Célia Silva/(O Capitão-de-Fragata Harro Schact era o comandante do submarino alemão U-507, que afundou 4 navios mercantes brasileiros na costa do estado de Sergipe, precipitando a entrada do Brasil na 2ª Guerra Mundial).
Centro da Juventude de Aracaju será inaugurado
Praça da Juventude, localizada no conjunto Augusto Franco
(Foto: Ascom)
A Prefeitura de Aracaju, através da parceria entre a Secretaria Municipal de Juventude e Esporte (Sejesp) e a Fundação Municipal do Trabalho (Fundat), inaugura nesta sexta-feira, 13, o Centro da Juventude.  Um espaço cultural e educativo que oferecerá gratuitamente cursos profissionalizantes para a população.  Na ocasião, será empossada a diretoria do Comitê Intersetorial de Políticas Públicas para a Juventude, às 15h, na Praça da Juventude, localizada no conjunto Augusto Franco.
O evento, que acontece na primeira Praça da Juventude construída no país, contará com a presença do prefeito João Alves Filho, seu vice, José Carlos Machado, de secretários e vereadores da capital, e do Secretário Nacional da Juventude da Presidência da República, Gabriel Medina, além do Coordenador Geral de Aprendizagem do Ministério do Trabalho e Emprego, André Igreja.
Além da solenidade oficial da entrega do espaço e da posse do comitê, que é formado por representantes de 12 secretarias e órgãos municipais que atuam na área de juventude, haverá também uma aula inaugural e palestras dos cursos de bijuteria, decoupagem de blusas e informática básica, formações iniciais oferecidas pela instituição. Outro objetivo do Centro de proporcionar mais segurança para os moradores, com o funcionamento de um ponto de apoio da Guarda Municipal, que será instalado no mesmo prédio.
Para Valdélio Silva, coordenador de Políticas Públicas Voltadas para a Juventude da Sejesp, o projeto é uma grande conquista para a Aracaju. "Essa foi uma grande ideia do nosso secretário Carlos Eloy, que junto com a Fundat, nós conseguimos realizar. Mudamos completamente o espaço, que antes era um depósito, para algo que hoje pode representar uma oportunidade para muitos jovens", destaca.

Fonte: Ascom Sejesp

O grito da população de bem!!

No dia 15 de março esta programado um grande levante popular contra a falta de segurança, contra a corrupção, contra as leis do pais que massacra o homem de bem, e atenua a vida dos que não acrescentam nada de bom a sociedade.
No dia 15, o que se quer, eu sinceramente não sei o   efeito, agora a insatisfação no pais é grande, assim como em nossa cidade, com essa administração ridícula, que não tem um norte desde o seu inicio, se é que tem inicio essa coisa!

Praça da Matriz, ponto de encontro de desocupados

O abandono da segurança pública por parte do poder público é impressionante, vejam tem um correto na praça da matriz que é um foco de desocupados.
A coisa é seria, nossa praça, que antes era local de encontro de pessoas de bem ,hoje esta tomada de desocupados.
Infelizmente pedimos as autoridades, que dêem um atenção maior a esse espaço.