terça-feira, 25 de novembro de 2014

Violência em Sergipe

 
Polícia
        
 
25/11/2014 18:04:02
4 HOMENS INVADEM RESIDÊNCIA, AMEAÇAM E ROUBAM JETTA 
Uma família viveu momentos de terror na manhã desta terça-feira (25), no bairro Coroa do Meio em Aracaju. Bandidos chegam à residência tranquilamente, armados sem serem abordados por nenhuma autoridades policial.
Uma família passou alguns minutos de verdadeiro sufoco nesta terça-feira no bairro Coroa do Meio, após a residência da família ser invadida por quatro homens fortemente armados. As informações são de que os 4 assaltantes chegaram à residência em duas shynerai.
De arma em punho e fazendo muitas ameaças, eles exigiam dinheiro e a chave do veículo Jetta, de cor branca que acabou sendo levado pelos marginais. Por não saber dirigir carros com câmbio automático, logo na saída eles bateram o veículo e em seguida desapareceram.
A polícia militar agiu rápido e por sorte do proprietário, o veículo Jetta de placas OEJ 0320, foi recuperado por policiais lotados no Posto de atendimento ao Cidadão (PAC), do bairro Mosqueiro.
Os quatro elementos não foram localizados e continuam soltos pronto para realizarem novos assaltos.

Fonte:Faxaju.com.br

Violência em Sergipe

São Cristóvão: taxa de homicídios cai em quase 45%
Outros crimes também tiveram expressiva redução na cidade
Diversas ações estão sendo desenvolvidas no intuitor de combater os crimes na cidade (Foto: divulgação PM)
A Polícia Militar do Estado de Sergipe, através da 1ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Comunitária (1ª Cia/1º BPCom), divulgou na manhã desta terça-feira, 25, um relatório estatístico mostrando uma redução no número de homicídios no município de São Cristóvão.

Os dados foram fornecidos pelo Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP) e tiveram como parâmetro os meses de setembro e outubro de 2013, comparados com o mesmo período de 2014. Foram registrados, no ano passado nove crimes desta natureza, sendo cinco homicídios registrados no mesmo período deste ano.

Outros crimes que também tiveram expressiva redução no período analisado foram o de roubo a residência, com 12 registros em 2013 contra quatro ações registradas em 2014; furto de veículo, que caiu de quatro para duas ações registradas; e a contravenção de perturbação do trabalho e sossego alheios (som alto), com registro de 2.306 casos nos meses de setembro e outubro de 2013 contra 1.163, ou seja, quase 100% de redução.  
  
De acordo com o capitão Fábio Alcântara, que há 70 dias assumiu o comando da 1ª Cia/1º BPCom, estes bons resultados são frutos de uma série de ações e estratégias desencadeadas em prol da otimização da segurança pública no município. “Contamos com o incondicional apoio do Comando da Corporação e do Comando do Policiamento Militar da Capital, bem como das unidades especializadas da PM, a exemplo do Batalhão de Radiopatrulha, Batalhão de Choque e Comando de Operações Especiais; Grupamento Especial Tático de Motos, Pelotão Ambiental e Esquadrão de Polícia Montada, que enfatizam suas ações no Complexo Eduardo Gomes/Rosa Elze”, pontuou o capitão.

Segundo o subcomandante da 1ª Cia/1º BPCom, Tenente Fernando Costa, o trabalho da PM tem surtido um efeito positivo no controle da criminalidade. “Nas últimas semanas, percebemos uma significativa redução no número de ocorrências em nossa área de atuação, fruto das sucessivas operações realizadas em São Cristóvão”, declarou.

O oficial destacou a colaboração da população local para o sucesso das operações. “A última semana foi bastante tranquila, fruto do empenho dos nossos policiais e da participação da comunidade, que vem constantemente denunciando comportamentos suspeitos, ajudando, desta forma, a Polícia Militar a disseminar uma cultura de paz”, enfatizou o tenente Fernando Costa.

Parcerias

As ações preventivas e repressivas vêm ocorrendo com incomensurável apoio do Poder Judiciário do município e com a parceria da Polícia Civil, através da 6ª Delegacia Metropolitana, que tem à frente o delegado Joel Ferreira.

Foco

O objetivo das operações realizadas semanalmente é a redução constante dos índices de criminalidade na área de atuação da subunidade militar, com foco na apreensão de armas brancas e de fogo, bem como de entorpecentes e recaptura de foragidos do sistema prisional. “Todas as nossas atividades são planejadas com base nas informações colhidas junto ao Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP), que nos subsidiam em quais horários e locais devemos enfatizar nossa ações preventivas”, concluiu o tenente Fernando Costa.

Itaporanga D’ Ajuda

O próximo passo da subunidade é otimizar as ações preventivas no município de Itaporanga D’Ajuda, cujo policiamento ostensivo também é de responsabilidade da 1ª Cia/1º BPCom.
Fonte: PM/SE
Fonte:infonet. com.br
Cabrita: famílias erguem barracos na João Bebe Água
Construções estão sendo feitas às margens do Povoado Cabrita
Mais barracos serão erguidos no local (Foto: Portal Infonet)
Sem ter para onde ir, as famílias, que antes ocupavam os terrenos localizados no Povoado Cabrita, situado em São Cristóvão, decidiram ocupar as margens da rodovia João Bebe Água. Cerca de dez barracos estão sendo construídos ao longo da via, que irão abrigar mais de 100 famílias.
Entenda
A ação de reintegração de posse ocorreu no último dia 14 de novembro, no povoado Cabrita, em São Cristóvão. Inúmeras famílias foram despejadas e viram suas casas serem destruídas após decisão judicial de reintegração de posse da área. Na última quinta-feira, 20, a polícia retornou ao local para terminar de derrubar árvores e plantações, no intuito de fazer com os moradores deixassem a área.

Fonte:infonet. Com.br

Assembléia Legislativa discute a segurança em Sergipe

Deputado acusa comandante da Polícia Militar de trabalhar para tirar segurança da sociedade

O deputado estadual Capitão Samuel (PSL) usou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã da última quarta-feira 19, para criticar o posicionamento do comandante-geral da Polícia Militar de Sergipe, o coronel Maurício Iunes, que, na sua ótica, estaria trabalhando para tirar a segurança oferecida à população pela Prefeitura de Aracaju.

“A visão de João Alves, focada em melhorar a segurança de Aracaju, fez com que a Guarda Municipal se profissionalizasse. Colocou um comandante. O comandante geral da Polícia Militar disse que a Guarda Municipal não tem preparo. Então, a polícia também não tem, porque os guardas foram formados no Centro de Formação da Polícia Militar (CEFAPE), os instrutores são os mesmos que estão formando os novos soldados que vão se formar. É muita politicagem. O povo não quer saber quem evitou o assalto: quer segurança. O comandante geral da Polícia Militar do Estado fomentou uma ação para parar uma segurança que a Guarda Municipal vem trazendo à população, principalmente nos mercados e nas praças”, denunciou.

Segundo Samuel, em maio deste ano, o Governo Federal destinou aos cofres do Governo do Estado cerca de R$ 54 milhões para serem investidos em segurança pública. “Eu não sei em que se gastou esse dinheiro, porque o resultado para a população, até agora, foi zero. Está faltando o governo parar de dizer que vai fazer sem fazer. Para enganar a população vem o comandante geral da PM, pega os alunos e os coloca na 13 de Julho e na Atalaia. Coloca uma nota que melhorou a segurança. Esse governo que está aí conseguiu algo inédito: enquanto doutor João Alves estava no governo, o efetivo da polícia era de 6.500 homens. Nos últimos oito anos de governo, esse efetivo diminuiu para 5.000 homens, e eu estou colocando os 600 que entraram agora que ainda não são soldados. Esse governo reduziu em mais de 20% o efetivo”.

Em concordância com Samuel, o deputado estadual Venâncio Fonseca (PP) classificou como um absurdo, por parte do coronel Maurício Iunes, entrar com a ação na Justiça. “Que polícia miúda e mesquinha é essa? Talvez a Guarda Municipal esteja fazendo um trabalho mais eficiente que a Polícia Militar em relação a segurança. Deveriam era dar apoio a guarda, porque quanto mais segurança melhor para a população. Seria bom que todo prefeito do interior tivesse sua guarda, porque a situação que Sergipe se encontra hoje é de insegurança total”, ajuizou o deputado. “A quantidade de gente que está sendo assassinada em Sergipe é preocupante. Está virando uma coisa banal. Só não está tendo mais roubo em Sergipe porque está faltando ladrão. Sergipe é hoje o quarto estado mais violento do país, e o terceiro quando são classificados os tipos de crime”.

Fonte: universo político

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Violência em Sergipe

VOCÊ É O REPÓRTER
Jovem morre espancado e asficsiado , vítima de pré nome Jonatas Santos Vidal, apenas 15 anos de idade, o fato aconteceu no município de Estância-SE
Motivo da morte segundo informações foi por causa de rechas.

Violência em Sergipe

Homem é morto por arma branca agora na rua Santa Rosa no Centro de Aracaju!

Violência em Sergipe


Violência em Sergipe

Fonte: Ricardo Marques Notícias

Invasores em São Cristóvão

Polícia a postos para apoiar reintegração de posse
Moradores e membros do Motu pretendem permanecer na área
Policiais estão fechando os acessos ao local (fotos: portal Infonet)
120 homens do 1º batalhão da polícia militar, da Choque, polícia montada e da Rádio Patrulha estão a postos para atuar, se necessário, na ação de reintegração de posse que acontece na manhã desta segunda-feira, 24, no povoado Cabrita, em São Cristóvão. Um oficial de justiça se encontra na área com um mandado, expedido no dia 21 deste mês.
Os moradores, junto com membros do Motu estão reunidos na ocupação e pretendem permanecer na área. Segundo uma das moradoras, Patrícia Fontes, praticamente todas as famílias permaneceram aqui após a primeira ação de reintegração. "É aqui que vamos ficar. Vamos sair daqui para onde? E por quê? Estamos aqui para brigar por um propósito", relata, acrescentando que nos últimos dias o clima é tenso na ocupação.
Vários membros da polícia estão presentes na área. De acordo com o tenente-coronel Blauner, a área vai ter que ser desocupada. "Estamos dando apoio ao oficial de justiça.
Moradores não querem sair
Primeiro vamos notificar os moradores e depois vamos tentar a saída pacífica deles. Se houver resistência, vai haver uso da força policial de acordo com as ordens do comando", registra o tenente-coronel.
Segundo o oficial de justiça Cleriston Alves, a reintegração vai ser concluída, pois ainda ficaram alguns entulhos no local.
Portal Infonet acompanha a ação de reintegração e permanece no local para trazer mais informações.
Por Monique Garcez
Fonte :infonet. com.br

domingo, 23 de novembro de 2014

Violência em Sergipe

������ Aracaju

Homicídio registrado agora no bairro São Conrado. 4 disparos de arma de fogo.


Violência em Sergipe

��INFORMAÇÕES POLICIAIS��

Informações passadas
 acidente fatal na entrada do condomínio perto entrada do conjunto Eduardo Gomes é em frente o condomínio mais viver Atlântico.

Violência em Sergipe

Corpo de estudante morto em assalto é sepultado em Itaporanga
Ele morreu na noite desta sexta-feira (21). A vitima tinha 29 anos e era natural de Cuibá.
23/11/2014 13h59 - Atualizado em 23/11/2014 13h59
Do G1 SE
O corpo do estudante morto durante um assalto a uma loja de fantasias no Bairro Farolândia, em Aracaju, na noite da sexta-feira (21), foi sepultado na tarde deste sábado (22) e não no domingo como estava previsto inicialmente pela família.

A informação foi confirmada por um amigo do jovem, que informou que o sepultamento foi realizado na cidade Itaporanga D’Ajuda.

O estudante foi morto após um homem assaltar a sua loja, onde ele estava acompanhado da namorada e um casal de amigos. Ele tinha 29 anos e era natural de Cuibá, no Mato Grosso.

Violência em Sergipe

Na Praça da Liberdade, Bairro Ametica
Troca de tiros com a GM
Os malas conseguiram escapar, GMA fazendo buscas na área.

A Violência aterroriza população de São Cristóvão

Violência sem limites na cidade de São Cristóvão.
A população vive clima de terror, assaltos, assassinatos.
Neste domingo mais uma vida ceifada no loteamento Lauro Rocha,estamos vivendo uma guerra de terror nessa cidade.
A cidade vive seu pior momento em todos os sentidos, aumento de IPTU, aumento da taxa de iluminação publica,corte de salários,cancelamento de carnaval,do desfile de 7 de setembro, o que esperar de ainda pior.
Agora a Violência que esvazia as ruas da cidade.
Que Deus olhe por esse povo!!

Violência em Sergipe!!


Violência em Sergipe


Violência em Sergipe


Gladston Barroso


Violência em Sergipe aterroriza a população

����Plantão Sergipe Notícia ��

Homem é assassinado ontem a noite no bairro porto d'areia
��Platão Aracaju 2��
Segundo informações  das pessoas aqui esse corpo foi encontrado agora na rodovia que da acesso a Simão dias.

Sócrates Prado!!


Violência toma conta de Sergipe

Dez corpos registrados pelo IML/SE nas últimas horas
A maioria vítima de homicídio por arma de fogo no interior
Sede do IML em Aracaju (Foto: Arquivo Portal Infonet)
Dez corpos foram registrados pelo Instituto Médico Legal (IML/SE), nas últimas horas, sendo a maioria por arma de fogo e homicídio por arma branca.
Carlos Andrade dos Santos Santana, 22, foi vítima de homicídio por arma de fogo na noite deste sábado, 22, no bairro Santa Maria. “Ele saiu de carro e quando soubemos já foi a notícia de que tava morto. Não sabemos ainda se teve alguma briga ou que fez isso”, conta o pai, José Carlos Santana que aguardava na manhã deste domingo, 23, a liberação do corpo.
Equipes do IML estiveram no bairro Soledade em Aracaju, para resgatar um corpo do sexo masculino, vítima de perfurações por arma branca, mas que ainda não foi identificado.
O corpo de Fábio Cristiano Maranduba dos Santos, 35 chegou ao IML no sábado, 22, proveniente do hospital de Lagarto, cuja causa da morte ainda não foi esclarecida.
De Itabaiana, chegou um corpo do sexo masculino, vítima de homicídio por arma de fogo, sem identificação. Lucas Augusto Gomes dos Santos, 17, morreu no bairro Atalaia em Aracaju, vítima de arma de fogo.
Marcos Virgílio Nascimento de Souza foi vítima de afogamento na Atalaia. Laelson dos Santos, 27, morreu por homicídio arma branca no Povoado Robalo [Areia Branca].
Vera Lúcia dos Santos, 40 morreu no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), com suspeita de envenenamento. Mais um corpo sem identificação, chegou do município de Estância, também do sexo masculino, vítima de homicídio por arma de fogo.
E da cidade de Barra dos Coqueiros, o corpo de Ednaldo Messias dos Santos Júnior, 36, vítima de espancamento seguido por arma de fogo.

Fonte:infonet. com.b

sábado, 22 de novembro de 2014

Dupla armada invade ônibus e assalta passageiros em Aracaju

O caso foi registrado na Delegacia Plantonista e ninguém foi preso.
Compartilhamento:
  • botao comentar
  • botao email
  • botao imprimir
  • botao email
  • botao email
Na noite desta sexta-feira (21) passageiros do ônibus de transporte coletivo, que faz a linha Terminal rodoviário / Desembargador Maynard, foram assaltados por dois homens. Durante a ação, os bandidos roubaram os pertences dos passageiros e levaram a renda do veículo. 
coletivo.PNG
Foto: Portal A8SE

De acordo com o boletim de ocorrência, os dois homens embarcaram quando o veículo passava pela Avenida Desembargador Maynard. Um dos suspeitos ficou na catraca ameaçando a cobradora do veículo com uma arma de fogo e exigiu a renda. O segundo suspeito ficou no fundo do ônibus, em seguida fez ameaças com uma faca e recolheu os celulares e pertences dos passageiros. 
 
Os bandidos desceram na rua Sergipe, mas até o momento ninguém foi preso. O caso foi registrado na Delegacia Plantonista e ninguém foi preso.

Fonte:atalaia agora.com.br

Seresta dos Amigos na Praça São Francisco


Alguém ainda tem duvidas de que estamos em guerra?


Veja a situação da Violencia em Sergipe


sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Sergipe 4° Estado Mais Violento

Ladrões arrombam loja e deixam prejuízo de R$ 20 mil
Crime ocorreu no bairro São José onde é crescente a violência
Momento em que arrombadores entram na loja (Foto: reprodução das imagens/Portal Infonet)
Na madrugada desta sexta-feira, 21, mais uma loja foi arrombada no bairro São José. Pela quarta vez, uma loja de moda feminina é alvo deste tipo de ação, crime que tem deixado um rastro de destruição e prejuízo. Proprietários e funcionários da reclamam da falta de segurança e asseguram que o prejuízo deste último roubo está avaliado em R$ 20 mil.
Além do aparelho de TV, os arrombadores levaram muitas peças de roupas femininas e não há pista dos criminosos. De acordo com informações do motoboy Raimundo Nascimento, que costuma dormir no local de trabalho [uma clínica localizada nas proximidades], os criminosos agiram por volta das 4h da madrugada desta sexta-feira, 21. “Ouvi o barulho, mas quando cheguei, os vidros já estavam no chão e eles já tinham roubado e fugido”, contou o motoboy.

De acordo com as imagens capturadas pelas câmeras de segurança do sistema da própria loja, quatro jovens praticaram o arrombamento. Um deles se aproximou primeiro em uma bicicleta. Posteriormente, outros três chegaram, pegaram pedras e atiraram contra a loja quebrando a porta central de vidro. Eles entraram, roubaram a TV e esvaziaram o estoque de roupas femininas.
Vidros recolhidos na porta da loja
Conforme informações da gerente, Maria Elisângela Santos, há cerca de 15 dias, ocorreu o penúltimo arrombamento, oportunidade que os criminosos roubaram roupas e o aparelho de TV. “A TV a gente recuperou através de um catador de lixo que informou que teria encontrado o aparelho em um terreno baldio na avenida Rio de Janeiro”, conta a gerente. Nesta madrugada, os arrombadores voltaram e levaram o mesmo aparelho. “Aqui a gente está vivendo a mercê dos marginais, trabalhando sem nenhuma segurança”, ressaltou a gerente.

O tenente-coronel Paulo César Paiva, chefe da PM5, seção responsável pela comunicação social da Polícia Militar de Sergipe, informou que há o policiamento ostensivo na região, mas não há como coibir este tipo de crime, geralmente praticado por pessoas desarmadas.
“É o tipo de crime que é feito por alguém que descobre a fragilidade e escolhe o momento certo para fazer o ataque”, considerou Paiva.
Ação dos arrombadores da loja
Para o tenente-coronel, é necessário que os comerciantes aumentem o sistema de segurança, principalmente quando se trata de portas de vidraça. É importante, segundo Paiva, que os comerciantes instalem proteção na parte interna para dificultar a ação destes criminosos.

Por Cássia Santana

Fonte: infonet. com.br

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Moradores e militantes fazem protesto na Cabrita
O ato contou com a participação de movimentos sociais
A manifestação aconteceu na rodovia João Bebe Água, São Cristovão (Fotos: Portal Infonet)
Jadiel fala que os moradores não pensam em sair do local 
Ginalva falou que perdeu tudo com a destruição das casas
Patrícia fala em 'fazer o possível para lutar pela terra'
Gislene faz parte do MST, que apoia a causa dos moradores da Cabrita 
Os moradores voltaram a demonstrar insatisfação devido à destruição de suas casas no povoado Cabrita, em São Cristovão. Na tarde desta quinta-feira, 20, os moradores, recentemente desalojados, fecharam a rodovia João Bebe Água como forma de protesto. Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, entre outros movimentos sociais, apoiaram o ato dos moradores.
Na última sexta-feira, 14, inúmeras famílias foram despejadas e viram suas casas serem destruídas após decisão judicial de reintegração de posse da área. Nesta quinta-feira, 20, a polícia retornou ao local para terminar de derrubar árvores e plantações, no intuito de fazer com os moradores deixassem a área.
A ação gerou mais revolta entre os moradores, que optaram pelo ato de protesto na rodovia João Bebe Água. Jadiel Santos é um dos que vive na região da Cabrita e ele conta que os moradores irão resistir no povoado. “Chegaram destruindo tudo. Mas, mesmo assim, nós queremos dizer que não vamos sair daqui”, disse o morador.
Ginalva Isaías, também residente do local, explica que ficou inconsolável com o restante da destruição das moradias do povoado Cabrita. “Acabaram com tudo o que eu tinha. Tudo que a gente tem. Nós não estamos pedindo nada de mais. Só queremos continuar onde estivemos esse tempo todo”, contou a moradora.
A moradora Patrícia Fontes fala que o que aconteceu é um descaso com a população da região. “A gente quer chamar a atenção para todo esse descaso. Não estamos de malandragem, a gente trabalhou pra manter a terra. E eles destruíram tudo o que estamos plantando há anos”, disse. “E a união faz a força. A gente é humilde, mas faremos o possível pra lutar pela nossa terra”, completou a moradora.
MST
O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra apoiou os moradores da Cabrita no ato desta tarde. Gislene Reis, uma das manifestantes do MST, fala da importância do apoio a causas como a da Cabrita. “É uma questão de solidariedade. E eles estão lutando pela terra deles. Não é justo que, depois de tanto tempo, eles tenham que deixar o que eles criaram aqui. Se necessário for, apoiaremos os moradores em outras manifestações também”, disse Gislene.
Por Helena Sader e Verlane Estácio

Fonte:infonet. com.br

AS MEMÓRIAS DE JUNOT SILVEIRA – I*

Junot Silveira e Jenner Augusto entre amigos em São Cristóvão, anos 1930.


Thiago Fragata*

À Jenner Augusto (11/11/1924 – 11/11/2014)


Os relatos memorialísticos traçam grandes painéis da realidade. Estes retratos são obras de artistas e/ou historiadores, uns mais realistas, outros mais poéticos, cronistas do passado. Recentemente, recebemos duas excelentes produções biográficas, genealógicas, de marcante rigor historiográfico. A primeira foi “Memórias de famílias: o percurso de quatro fazendeiros”, de Ibarê Dantas; a segunda, “Trilhando Memórias”, de Ana Maria Fonseca Medina. Por demais resenhadas, devo apenas reputar o nível e o vigor do gênero literário em terras sergipanas. Nem sempre as memórias de um contexto historico-geográfico são enfeixadas em livro e chegam ao público leitor. Se o relato memorialístico que Serafim Santiago escreveu para os seus netos em 1920 ganhou o formato livro em 2009 foi graças aos esforços da Universidade Federal de Sergipe e do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, em razão do consenso destes centros de difusão do conhecimento. O Anuário Christovense traça um panorama geral dos fatos e práticas civis e religiosas de São Cristóvão na segunda metade do século XIX e início do XX, quando o autor comemora a chegada do progresso com a inauguração da Fábrica de Tecidos Sam Christovam em 1914. (1) No presente artigo revelarei a São Cristóvão na década de 1930 através das lembranças de um cronista, Junot José da Siveira (1923/2003). 
 
Junot Silveira era irmão de Jenner Augusto, destacado artista plástico, e teve uma marcante atuação no jornalismo baiano apesar de ter ensaiado seus primeiros voos em Sergipe, assim como o irmão. Foi editor do jornal A Tarde, de Salvador, Bahia, por mais de 40 anos (1958, meados da década de 1990). Na sua crônica registrou a nostalgia dos tempos de infância em São Cristóvão enquanto pauta do gênero literário que dominou magistralmente. “Num sentido, genérico, usa-se a palavra crônica para indicar, até hoje, o registro da feição de uma comunidade e de uma época, as memórias de um passado que se quer fixar”. (2) Apesar do dissenso quanto a classificação da crônica, se é paraliteratura, literatura ou história, tenho o cronista como um historiador dos costumes ou historiador do cotidiano.(3) 
 
Folheei 20 crônicas de Junot Silveira produzidas entre 1968 e 1994 e confesso minha admiração e descoberta do seu potencial memorialístico; “algumas de suas crônicas dominicais – conforme asseverou Mario Cabral – são antológicas”. (4) Da minha parte, não ousarei resenhar ou mesmo resumir seus escritos a respeito da sua encantada infância. Por isso deixarei seu texto “Ontem e Hoje”, publicado em 1988, substituir este elogio. Antes é importante frisar que os irmãos Jenner Augusto e Junot Silveira chegaram em São Cristóvão em 1930. Sua mãe, Maria Catarina Mendes da Silveira, professora, foi transferida para o Grupo Escolar Vigário Barroso, situado na atual Praça da Matriz. A residência simples em que moraram por 4 anos era no fundo da Igreja do Amparo dos Homens Pardos. (5) 
 
 ONTEM E HOJE - Vendo tantos carros manobrar no pátio do estacionamento eu me lembrei dos tempos de criança. Da época em que vivi em São Cristóvão com seus casarões coloniais, os seus conventos, os seus frades e suas beatas, as procissões desfilando pelas ruas, a velha fábrica de tecidos que funcionava na Cidade Baixa. 
 
 Era para essa fábrica que passavam, madrugada ainda, dezenas e dezenas de operários pela nossa porta. Eram homens e mulheres que acordavam cedo e calçavam tamancos, pisando em passos rápidos o chão de cimento das calçadas ou o barro das ruas. Acordavam cedinho, com o amanhecer, para se dirigirem ao trabalho, que não ficava perto da residência de todos. À época não havia transporte coletivo; o jeito era utilizar as pernas, caminhar muito mais de um quilômetro para lá e muito mais de um outro quilômetro para voltar. Iam limpos para o trabalho, limpos como a manhã que respiravam e quando retornavam estavam suarentos, com os corpos visgando e com vestígios de algodão. Traziam do serviço essa lembrança diariamente, e mais o cansaço de lidar com os teares. 
 
 Nas tardes de domingo tinham como lazer o futebol, o quadro da própria fábrica, o União Têxtil, se a memória não me trai, fazendo ótimas exibições frente a representação de outras cidades, inclusive Aracaju. No União Têxtil havia grandes valores, como Zeca Trincheira, um zagueiro pesado e forte e o hábil centroavante Zeca Tenisson. O Zeca Tenisson jogou futebol por mais de 25 anos seguidos, sempre com muita garra, muito empenho e muito brilhantismo. E também com muita discussão em campo, que não era homem para levar desaforo para casa. Por várias e várias vezes seguidas comandou a seleção sergipana que, se nem sempre teve melhor atuação, não foi por sua culpa. 
 
 O Zeca Tenisson jogou futebol durante tanto tempo, que eu devia ter uns cinco anos de idade quando ele já era craque do União Têxtil e, já adolescente, quando contava 17 anos, eu jogava ao seu lado em Laranjeiras e ele me transmitia alguns de seus truques e um pouco da sua experiência e da sua habilidade. Tivesse ele atuado em outros meios, em um centro como o Rio de Janeiro ou São Paulo, teria gozado de fama nacional. Fama justa, merecida e não fabricada como é comum acontecer hoje em dia. 
 
 O campo do União Têxtil, em São Cristóvão, era aberto; o da Associação Atlética, do Lagarto, colocava uma empanada nos dias de grandes eventos, o de Laranjeiras tinha uma cerca de bambus. No gramado dos três conheci bons atletas, mas nenhum deles se igualava ao Zeca Tenisson. Mas dele tenho também a lembrança de bom amigo que me levava, quando criança e ele adulto, a passear na São Cristóvão, inclusive nos dias de festas religiosas. Nos dias em que a cidade se enchia de visitantes. Nos dias em que chegavam os romeiros de várias partes, em caminhões, que então ainda não eram chamados de paus-de-arara. Ou em trens especiais. E as pessoas de maiores posses, altos comerciantes e senhores de engenho, que se transportavam de automóvel. 
 
 Esses automóveis eram, para mim, um deslumbramento. Nunca tive, sequer, um velocípede. O carro em que brincava era de madeira, das quatro rodas ao volante, feito por mim e os amigos. Daí o encantamento pelos veículos que chegavam de fora, especialmente de Aracaju. Pela manhã quase sempre ficavam postados na Praça de São Francisco e à tarde, lado a lado, na Praça da Matriz. Alguns motoristas, mais compreensivos e tolerantes, permitiam que eu sentasse no coxim, pegasse no volante, tocasse na alavanca do câmbio. Tudo isso eu fazia com o maior contentamento da vida. Com a mesma sofreguidão com que Thiago, sentado ao meu colo, mexe no painel do carro, acende e apaga as luzes do farol, vai-se familiarizando, precocemente, com a máquina que eu vejo manobrar no pátio do estacionamento e me traz lembranças de um passado que vai longe, mas sempre presente em minha vida sentimental. (6) Continua.

 
*Artigo publicado no JORNAL DA CIDADE. Aracaju, 12 de novembro de 2014, p. B-6.
** Thiago Fragata é Especialista em História Cultural (UFS), sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe (IHGSE), diretor do Museu Histórico de Sergipe (MHS/SECULT), membro do GPCIR/CNPQ. Email:thiagofragata@gmail.com

Fonte:Blog Cicerone de São Cristóvão

Sergipe, o quarto estado mais violento do Brasil!!

Trabalhador rural é assassinado no interior de Sergipe
Vítima chegava numa clínica com esposa e um filho
IML: corpo ainda sem identificação (Foto: Arquivo Portal Infonet)
Em Amparo do São Francisco, o trabalhador rural, identificado preliminarmente como Antonio Santos da Silva, 28, foi assassinado a tiros na tarde desta quarta-feira, 19, na porta da Clínica da Família. De acordo com os primeiros levantamentos realizados pela Polícia Militar, a vítima chegou à clínica na companhia da esposa e de um filho quando foi surpreendido pelos tiros.
A vítima é natural do povoado Bongue, em Ilha das Flores, e já estaria residindo em zona rural de Amparo do São Francisco há cerca de quatro meses. Na quarta-feira, ele chegou ao trevo de Amparo em uma topic, onde pegou um veículo de aluguel e seguiu, com a família, até a clínica, conforme observações do sargento Fernandes, da 1ª Companhia do 2º Batalhão da Polícia Militar, com base nos levantamentos realizados pela equipe no local do crime.
O crime teria sido praticado por dois homens ocupantes de um veículo preto, que se encontrava estacionado na porta da clínica no momento em que o trabalhador rural desembarcou, pouco antes das 15h da quarta-feira, 19. As versões sobre os motivos do crime são diferentes. Há suspeita que o crime tenha sido motivado por uma rixa familiar decorrente de uma herança e há também a versão de que há probabilidade de relação com o tráfico de drogas devido a um suposto envolvimento do irmão da vítima nesta atividade ilícita.
O corpo da vítima chegou ao IML em Aracaju às 20h20 e permanece sem identificação oficial, aguardando a família.

Fonte:infonet. com.br

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Polícia lança planejamento no 4º estado mais violento
Enquanto acontecia a solenidade, um policial civil era baleado
Evento lotou o auditório do TCE/SE (Fotos: Portal Infonet)
A violência desenfreada em Sergipe, colocando o estado na 4ª posição no ranking dos mais violentos do país [dado publicado em 11 de novembro no 8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública], foi questionada pelo Portal Infonet na manhã desta terça-feira, 18, quando do lançamento pela Polícia Civil no auditório do Tribunal de Contas (TCE), do Planejamento Estratégico 2012/2016, visando criar o estabelecimento de metas e indicadores. Enquanto acontecia solenidade com entrega de placas e medalhas aos agentes e delegados de polícia, um policial civil era baleado durante assalto no conjunto Augusto Franco.
De acordo com o secretário adjunto da Secretaria de Segurança Pública de Sergipe, João Batista, os números não estão bons no Brasil inteiro. “A questão da violência é um problema seríssimo que tem que ser pactuada não só pelas instituições policiais. O grande erro às vezes é que se coloca a responsabilidade do combate à violência apenas nas costas da polícia, a polícia é apenas um elo do sistema. O sistema é formado pelas polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, Ministério Público, Poder Judiciário, Defensoria, Sistema Prisional e pelo próprio Ministério da Defesa”, ressalta.
Katarina Feitoza durante entrega de placas
João Batista entende que não se pode combater o crime no Brasil apenas cuidando do Estado. “O crime hoje ele roda. Veja a questão da explosão de cashs, embora em Sergipe nós temos conseguido manter sob controle, este ano já foram 18 casos. O mesmo cidadão que explode um cash em São Paulo, na outra semana ele está explodindo em Sergipe. O que precisa é ter um controle homogêneo em todo o país”, acredita.
Drogas
Sobre a questão das drogas que cresce em larga escala no estado, João Batista confirmou ser um problema emblemático. “Sergipe não produz uma pedra de crack. Essa droga atravessa o país todo para chegar aqui, atravessa fronteiras e divisas estaduais, por isso tem que ser um combate engajado. Eu posso dizer com bastante clareza, é que a SSP, a Polícia Militar e a Polícia Civil vem fazendo um esforço imenso para manter Sergipe com a violência sob controle. A gente tem que pensar macro e aí a sociedade, que é quem paga imposto e quem elege os seus representantes, tem que cobrar e saber a quem cobrar”, enfatiza.
Planejamento
João Eloy entrega medalhas
Sobre o planejamento estratégico, o secretário adjunto explicou que os trabalhos não iniciaram agora. “A cúpula da Polícia Civil já vem fazendo. É óbvio que nenhuma instituição hoje pode sobreviver sem um planejamento a longo prazo. Dra Katarina Feitoza e os seus subordinados vem tentando se aproximar do Tribunal de Justiça, que é referência em planejamento estratégico no Brasil, tentando se espelhar em Pernambuco através do Pacto pela Vida. que é um planejamento com números importantes e replicar essas boas práticas em Sergipe planejando a polícia não só para quatro anos, mas para dez ou 12 anos, para que as pessoas que venham sigam”, diz.
Ele esclareceu ainda que o planejamento “busca primeiro a detectação dos números, segundo as metas e em cima disso valorizar aquilo que é mais importante hoje no serviço público, a meritrocacia, tem que ser policial, mas tem que ter metas a serem alcançadas e quando alcançar essas metas, as pessoas sejam bem valorizadas pela comunidade e pela instituição”.
João Batista: "A gente tem que pensar macro"
A superintendente de Polícia Civil, Katarina Feitoza, destacou que o planejamento estratégico da Polícia Civil vai funcionar como se fosse controlada por um semáforo, ou seja, se a meta estiver cumprida entre 70 e 100% estará no verde: abaixo 50% e 70% estará no amarelo e abaixo de 50% estará numa situação preocupante [no vermelho].
“O processo de elaboração do planejamento foi muito rico e produtivo. Trata-se de um projeto construído por muitos e que, por isto, certamente será bem sucedido”, destaca Katarina Feitoza acrescentando que objetivos estratégicos, metas e indicadores, a exemplo do controle de produtividade serão a tônica da SSP/SE para os próximos anos.
Para se ter uma ideia da violência no estado, os dados do anuário apresentados no Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revelam que em 2013, foram registrados 929 crimes letais intencionais, um índice de 5,4% maior que o verificado no ano anterior quando ocorreram 845 crimes desta natureza.
Por Aldaci de Souza

Fonte:infonet. com.br